Algumas coisas que eu aprendi na prática

Escrito em 21/10/09

Primeiramente vou me apresentar à vocês. Meu nome é Cássio Diniz, tenho 30 anos, nasci e fui criado em Contagem-MG. Sou um Produtor Editorial de formação e minha carteira de trabalho está assinada como Designer Analista de Marketing.

Comecei a atuar na área em 2002. (Não vou considerar aqui a época que eu ganhei meu primeiro computador, aos 15 anos e fazia cartões de visitas impressos naqueles papéis da Pimaco, prontos para fazer cartões. Também não vou considerar a época que trabalhava numa academia e fiz um folder no Word e um outdoor no Power Point.) Durante esses 7 anos, passei por grandes empresas e empresas que mesmo não tão grandes, pude desenvolver bons trabalhos, talvez os melhores.

Comecei como estagiário de comunicação na CNH Latino Americana (Grupo Fiat), depois fui para o Sebrae Minas, depois na Prefácio Comunicação (onde atendi empresas como ESAB, ThyssenKrupp, Nansen, etc.) e fiz meu último estágio na Fiat Automóveis. Depois fui temporário no Senac Minas, tive um escritório em casa durante um ano e meio e atualmente sou designer da Master Turismo.

Durante esse tempo, aprendi várias coisas na prática. Coisas que me fizeram tornar (ou me achar) um profissional mais completo. Os itens que abordarei agora foram apresentados na palestra que dei aos alunos de Comunicação, na Faculdade Promove em Sete Lagoas, à convite do meu amigo, o professor Rodrigo Sales.

1. Os trabalhos da faculdade
Encare todos seus trabalhos de faculdade como trabalhos para clientes reais. A falta de experiência poderá ser compensada com um bom portfólio, mesmo que você apresente os trabalhos da faculdade.

2. Estágios
Aproveite para fazer todos os estágios possíveis. Comecei fazendo estágio no primeiro período e só parei no segundo semestre do último ano da faculdade, mas para dedicar à monografia. Baixos salários e muito serviço podem valer a pena quando você formar e for procurar emprego. A falta de experiência é o que faz vários formandos trabalharem em outras áreas e nunca atuarem no que estudaram.

3. Relacionamento
Aproveite seus contatos dentro e fora da faculdade. A maioria dos meus clientes foram indicados por pessoas que conheci na faculdade e que de certa forma confiaram no meu trabalho para que me indicassem aos amigos ou ao local de trabalho. Seja a referencia de algum tipo de trabalho. Sempre ouço que alguém precisava fazer um site e a pessoa lembrou-se de mim.

4. Disciplina
Pra quem trabalha em casa ou não, disciplina é fundamental. Por mais que a TV fique sempre te chamando, ou dê aquela vontade de dormir depois do almoço, leve a coisa a serio. Se você quer ser tratado como profissional, tenha uma postura de profissional.

5. Valorizar o trabalho
O sobrinho que mexe no computador não é seu concorrente. Se ele quer fazer site por R$200 e logo por R$100, deixe ele fazer. Não se rebaixe para pegar um trabalho. O investimento que você fez nos cursos, na faculdade, nos livros, deverá ser recompensado com o seu trabalho. Diga ao cliente que ele deve então fechar com o tal sobrinho, mas tenha certeza que mais cedo ou mais tarde ele volta te procurando para corrigir o serviço do sobrinho dele e nessa hora você poderá até cobrar mais caro.

6. Enxergue as possibilidades de negócios
Todo mundo pode ser seu cliente. Uma vez estava num restaurante e perguntei ao gerente porque o restaurante não tinha site. Dessa pergunta surgiu um novo cliente. Tenha sempre em mãos cartão de visitas, para entregar aos futuros clientes. Num certo carnaval fiquei com uma menina que ao me perguntar o que eu fazia, me contou que o pai dela precisava de um site pra empresa dele. Foi o único carnaval que mais ganhei dinheiro do que gastei.

7. As idéias saem do papel
Não se limite ao computador para criar algo. Uma das versões do meu site foi desenvolvida dentro da sala de aula, rabiscando um caderno. Durante a aula fiz o desenho de todo o site e quando cheguei em casa coloquei ele na tela.

8. Reciclar conhecimento
Não deixe de estudar, de ler e de aprender nunca. Acompanhe blogs, twitters, sites de pessoas e agências que podem te acrescentar algo. Participe de cursos, fóruns, discussões e seja muito curioso, pergunte sempre que tiver dúvida.

9. Estude seu projeto
Entenda bem qual é a necessidade do cliente. Não crie baseado no achismo. Uma fonte bonita e uma cor legal não é argumento para defender sua criação. Pesquise o significado do que você está criando. Busque inspirações, mas não faça cópia. Mais cedo ou mais tarde irão descobrir e você poderá se queimar no mercado.

10. Apareça!
Não adianta ser um ótimo profissional, ter ótimos trabalhos e ninguém ficar sabendo disso. Use as mídias sociais ao seu favor. Comente em blogs, vá em eventos da área, converse com as pessoas, não saia sem seus cartões de visitas. Faça um cartão de visitas! Divulgue seu site, seu flickr, seu twitter. Deixe as pessoas saberem que você existe e o que você faz.

E não esqueçam do filtro solar

Post A Comment